Blog

IGLU FIGURA ENTRE AS MAIORES FORNECEDORAS DE PESCADO DO ESTADO 04/03/2011 5

O Brasil ainda não é um grande consumidor de pescado. Tabus culturais, questões econômicas, entre outros fatores fazem com que os peixes não figurem entre as preferências nos pratos dos consumidores nacionais. Entretanto, após um longo período, esse quadro parece estar mudando, com a demanda crescendo para esse tipo de produto, apoiada em questões de saúde e também por conta de uma diminuição dos preços.

 

A região conta, na cidade de Marília, com uma das maiores distribuidoras de pescados do Brasil. A empresa disponibiliza uma estrutura moderna, oferecendo a um grande número de pontos de venda pescados nacionais e importados de altíssima qualidade. Trata-se da empresa Iglu, que comemora 27 anos de existência, com uma estrutura privilegiada de compra do produto, assim como de distribuição.

 

A Iglu iniciou as suas atividades como uma distribuidora de sorvetes. Gildo Pavan, que ao longo de vários anos foi funcionário da Kibon decidiu implementar um negócio próprio e passou a ser distribuidor da marca de sorvetes Gelatto na região de Marília. Os negócios começam a tomar corpo e algumas alternativas, além do sorvete, foram pensadas para que a empresa prosperasse ainda mais. Uma dessas alternativas foi o pescado, vindo de regiões como a Argentina ou o norte do Brasil.

 

“Em 1986 passamos a atuar com pescados, ampliando nosso leque de produtos e eles se mostraram muito viáveis. Hoje, a empresa atua praticamente com 99% de pescados e atendemos a uma importante região do Estado”, sustentou Alexandre Pavan, diretor da Iglu e filho do fundador da empresa.

 

A Iglu atua como um importante importador de pescados sendo que seus principais pontos de compra são a Argentina, Uruguai, Chile e China. “O nosso maior volume de compras é da Argentina, com cerca de 60% ou 70%, ao passo que o Uruguai responde por cerca de 20% e o restante adquirimos do Chile e da China. Na Argentina, o nosso carro-chefe é o filé de merluza”, observou Pavan.

 

No que se refere aos peixes adquiridos no mercado nacional, a Iglu compra, principalmente, dourados, surubins e pintados, que são originários da região Norte do país. Além disso, as sardinhas, peixe bastante tradicional na mesa do brasileiro, são compradas em locais como Santa Catarina e Rio de Janeiro.

 

A Iglu atua hoje no oferecimento de produtos em todo o Estado de São Paulo, além de também ter uma forte presença no sul do Estado de Minas Gerais e no Paraná. Com uma equipe de 25 vendedores, a Iglu atende um universo de 4 mil clientes ativos, entre eles supermercados, peixarias, cozinhas industriais e restaurantes.

 

A Iglu comercializa entre 500 e 800 toneladas de pescado ao mês, sendo que a demanda por seus produtos vem tendo uma significativa progressão, mesmo com as oscilações cambiais.

 

“O mercado para pescado vem se firmando cada vez mais. Há cinco anos, verificávamos um cenário muito mais sazonal, com as compras mais fortes se dando no período da quaresma. Hoje temos um cenário diferente, sendo que a população está comendo peixe de maneira muito mais efetiva, já que ela vê o peixe como um produto que traz benefício para saúde. Além disso, temos a propaganda governamental que estimula o consumo de peixe e o preço está se aproximando ao custo da carne, algo que não ocorria no passado”, explicou Pavan.

 

Estrutura — A Iglu está instalada em uma área de mais de 3 mil metros quadrados, sendo que mais de 1,6 mil metros cúbicos são destinados para as câmaras frias, que abrigam os pescados diversos distribuídos pela empresa.

 

Adicionalmente, a empresa efetuou investimentos recentes e passou a contar com uma área de armazenamento na capital paulista, além de um ponto de distribuição, o que permite que seus produtos possam chegar a um universo maior de clientes naquele que é o maior mercado do país.

 

“Neste ano de 2010 estamos focados em uma linha de pescados embalados com a nossa própria marca. Vários desses pescados já são originalmente embalados na Argentina e no Uruguai, ao passo que também temos uma estrutura de envasamento em Santa Catarina”, sustentou Pavan.

 

A estrutura de trabalho da Iglu é composta por um corpo de 70 colaboradores diretos e indiretos, além de 20 carros de entrega e três carretas, sendo que em várias partes do país a empresa atua adquirindo fretes, como é o caso do Norte, onde praticamente todos os carregamentos são feitos por parte de colaboradores terceirizados.

 

Na visão de Pavan, o Brasil vem se tornando um player bastante importante no mercado de pescados, com um volume crescente de demanda para esses produtos. “Até há pouco tempo, por exemplo, a Argentina via o Brasil como um mercado esporádico para o pescado, sendo que hoje somos um mercado vital, tal o volume de produtos que adquirimos”, explicou o empresário.

 

A Iglu vem acompanhando esse crescimento da demanda por pescados e, ao longo dos últimos três anos, experimentou um crescimento de cerca de 100% em seu volume de comercialização.

 

“Hoje podemos dizer que a Iglu está entre as dez maiores vendedoras de pescado do Estado de São Paulo e estamos trabalhando para consolidar ainda mais essa posição”, complementou Pavan.

 

Fonte: http://www.vigoreconomico.com.br